Containers em terminal portuário

TRANSPORTADORA DE SANTOS – EMISSÃO DE CO2 NO TRANSPORTE DE CARGA

Por Nicholas Andrew
Da RodoQuick, em Santos – 28/03/2017 – Edição 015

O transporte de carga está diretamente associado com poluição. A emissão de CO2, o gás de efeito estufa lançado no meio-ambiente pelos veículos na queima do combustível, tem deixado esse fato cada vez mais preocupante. 

O que torna esse cenário ainda mais agravante é o fato de os caminhões serem movidos apenas a diesel, o combustível mais poluente, por liberar uma grande quantidade de enxofre, além da idade dos caminhões e carretas que circulam pelas rodovias e estradas do país, que são muito acima do ideal. O indicado para as frotas brasileiras é uma idade média de 8 anos. Na tabela abaixo é possível ver a idades dos veículos transportadores de carga por categoria:

Fonte: Journal of Transport Literature (http://www.scielo.br/pdf/jtl/v6n2/v6n2a13.pdf)

Diante dessa realidade, algumas medidas foram tomadas para que houvesse um controle mais rigoroso da emissão dos poluentes na atmosfera. Uma delas foi a implementação de uma resolução do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), que considera grave quando a emissão dos poluentes ultrapassa os limites previamente determinados pelo Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama), aplicando uma multa de R$127,69 e mais 5 pontos na carteira.

Para que os caminhões se adaptem à regulamentação promovida pelo Contran, é necessário que seja feita uma regulagem na bomba injetora, o sub-sistema que alimenta o motor.

Essas são medidas acessíveis ao bolso de transportadoras e caminhoneiros e são facilmente corrigidas com simples manutenções periódicas preventivas feitas no caminhão. Dessa forma, colaboramos com o meio-ambiente, evitando problemas à saúde da população e dos trabalhadores, sem causar grande impacto no orçamento de caminhoneiros e empresas, e no preço de produtos de importação e exportação.